©
Então sozinha fui caminhando até a praia sentei na beirada e com as ondas batendo nas minhas pernas , olhei o céu e lá estava ela linda brilhante e onipotente lua me lembrando você, realmente como se parecem, o olhar para ela me lembrou cada momento que passamos juntos, e as lágrimas apenas foram rolando pelo meu rosto bem devagar uma a uma, se misturando ao mar, dizem que as lagrimas são salgadas, na verdade eu não sei pois a lá também havia água do mar. Amar. O amar é tão difícil, o a mar é tão difícil que eu preferia rio, mas não tinha opção, chorar era a solução. Em prantos largada no chão, fiquei até que uma sombra avistei, eu estava de olhos fechados, mas mesmo assim, tudo escureceu, não sou maluca, a sobre era da lua do poste que refletia na orla da praia. Era um menininho, seu nome era Surigam, e sua idade não condizia com seu pensar. Ele ao me vez disse - Eu senhora pare de chorar, você não é Iemanjá, então água não tem que repor no mar. - Sabe? ele tinha tanta convicção que eu ri daquela situação, ele ali tão pequeno e me dando ordem, uma mulher de seus 20 e poucos anos, chorando por amor em uma beira de praia, toda molhada e descabelada. Ele do meu lado se sentou! e então perguntou - Ei! Moça! O que houve? - Eu não sabia muito bem o que dizer, apenas sussurrei - Você não entenderia! - Ele deu uma risadinha - Senhora é por amor né? E a lua te faz lembrar seja lá quem for, que te faz sofrer! É ela sempre faz isso, mas não é sem querer moça, a perdoe por favor? - E com muito amor àquela bola gigante e brilhante no céu, o garoto pediu, para que eu a perdoasse. Sabe? Eu fiquei impressionada, não pelo fato dele pedir perdão pela lua, mas dizer que eu sofria por amor, e que a lua me fazia lembrar, como um garoto com apenas sei lá, uns 7 anos poderia dizer isso - Menino quantos anos você tem? - (O menino riu) - Eu tenho 8 anos senhora, mas já sei que sou muito pequeno para falar de amor, ou outra coisa parecida, que sua história é sofrida, e que mesmo que eu fale de amor, não iria entender, e sei também que vai ficar impressionada após eu falar isso, e fará um monte de perguntas! Sabe como sei disso tudo ? É que a senhora não é a primeira que vem aqui! - Eu simplesmente me estagnei, parei e para realçar só se ouvia o barulho do meu soluçar, tudo estava em silêncio naquela hora, eu não entendia nada, até de chorar parei. - Menino… deixa eu já sei! - Ele retrucou-me - O que sabes senhora ? - Eu não sabia o que dizer, na verdade nem triste mas estava, eu só queria conversar - Sei que quer conversar comigo - Sabe senhora eu só queria lhe falar, que em uma das histórias que a lua se pôs me contar, ela disse a seguinte frase: “Ele era sol e eu lua. trilhamos caminhos diferentes unidos por um amor impossível, amor que emocionou até Deus, que com compaixão a nós, nos permitiu um breve encontro. Ele era dia e eu noite, e juntos eramos por do sol.” Então senhora, não seja mais um reflexo da lua solitária no mal, faça por merecer, e seja mas um dos belos por dos sóis de verão que os casais tanto gostam de ver.
Seja um por do sol {…} O menino que Observava a Lua & Florejus.  (via romeuemcrise)
Era isso que eu queria: reações. Agora sim ela parece a minha garota. Bufando, me mandando ir embora, chorando de amor e ódio, cheia de ciúme, vibrando, pulsando, me jogando coisas, as sobrancelhas circunflexas, aquela veiazinha saltando nas têmporas. Enfim, é assim que eu gosto de vê-la: sentindo. Hoje é ira e desprezo. Amanhã é paixão e carinho. Quem é capaz de explodir de raiva, também é capaz de explodir de amor.
ocasionador)

nadaehsimples:

shades-of-invisible.tumblr.com em We Heart It.

Quando você sorri, eu perco a noção de tudo e qualquer coisa. Fico naquela de não saber se junto meu sorriso ao teu ou se repouso meus olhos nos teus e fico, por segundos, te contemplando. Quando você sorri, o mundo inteiro deixa de existir e, a minha vida, ganha mais vida. Se torna tua, como eu sou.
Plenitude.   (via inverbos)